Quais são os combustíveis não poluentes?

Aos dias de hoje o interesse por combustíveis não poluentes cresceu de uma forma exponencial. A principal razão prende-se ao facto de emitirem menos CO2 e ajudam a melhorar o aquecimento global.

Existem combustíveis sem emissões poluentes?

Fruto da evolução da tecnologia e o aperfeiçoamento de algumas já existentes, é possível encontrar combustíveis com zero poluição.

Na atualidade, os combustíveis que conseguem emitir nenhum tipo de poluição ao meio ambiente são a eletricidade e o hidrogênio. Os restantes combustíveis têm emissão quase nula, como por exemplo: o gás natural e o seus derivados, o metanol, os combustíveis de série P, o biodiesel e o bioetanol.

Estes combustíveis são derivados de outras fontes como o petróleo. Isto significa uma menor dependência da importação do mesmo e mais uso de fontes renováveis, que produzem sempre menos poluição que a gasolina e diesel.

Quais são os combustíveis que mais poluem?

Os combustíveis que mais poluem são os sintéticos, devido à grande emissão de nitrógeno e são, também, mais despendiosos na hora da sua produção. Por sua vez, os combustíveis fosséis são também muito contaminantes para o meio ambiente.

Está mais que provado que, devido aos altos níveis de poluição a que estamos expostos, a poluição por queima de carvão, petróleo e gás prova 4,5 milhões de morte por ano em todo o mundo e também cria grandes custos económicos. É sabido que por volta de 40,000 crianças falecem a cada ano devido à inalação de micropartículas derivados dos combustíveis fósseis. 

Petróleo

O petróleo está muito presente no nosso dia a dia, mas o mesmo causa grandes impactos ao meio ambiente. A poluição pode ocorrer devido ao descuido humano e gerar descargas no mar, prejudicando a fauna marinha e parte do ecossistema. Como a luz solar não pode atravessar devido à camada de óleo, pode causar a morte de diferentes espécies. A longo prazo, pode causar danos aos animais porque a sua fonte alimentar está contaminada e estes não conseguem reproduzir-se.

Um dos grandes desastres devido ao derramamento de petróleo foi o afundamento do Prestige e a enorme mancha de petróleo que gerou. Outro caso muito mais atual é o derrame de petróleo que contaminou a Amazónia equatoriana e deixou todas as comunidades indígenas da zona sem água limpa, para além de todos os danos causados à flora e fauna da zona.

Carvão

Este combustível fóssil é o que mais contribui para a mudança climática. Alguns dos dados descarregados relativamente aos danos a longo prazo que o carvão irá causar são os seguintes:

  • Se a construção das novas centrais elétricas seguirem em frente, em 2030 o carvão será responsável por 60% das emissões de CO2 mundiais.
  • A emissão de CO2 acentua os casos de asma devido à grande poluição e, no final, a inalação do mesmo. Há mais de 550.000 casos de asma por ano e se as emissões continuam a crescer este número irá subir.

O carvão tem impacto em todo o ciclo de produção, desde a destruição de florestas, a filtragem de metais pesados e tóxicos e as toxinas para a água, a inalação de poeira que cria problemas graves de coração e pulmão, e a emissão de CO2 prejudica o aquecimento global.

Gás natural

O gás natural é um combustível camuflado na parte positiva, porque é um combustível muito mais limpo que o carvão e, às vezes, é um substituto natural. A parte mais poluente da sua produção é a fase de extração e a perfuração de poços.

Devido à elevada produção de hidrogénio-carbono das suas moléculas, as suas emissões são perto de 40-50% mais baixas que as do carvão e 25-30% inferiores às do fuel-óleo.

Por exemplo, a fratura hidráulica contamina os aquíferos, para além de outros tipos de contaminação derivados desta técnica. O fracionamento está de igual forma relacionada com a atividade sísmica, embora de baixa magnitude. 

Qual é o combustível que polui menos?

Existem vários combustíveis mais limpos e todos eles, como em qualquer campo, continuam a avançar e evoluir para melhorar em algumas áreas onde ainda não são suficientemente bons. O combustível que surge à cabeça sendo o menos poluente é o hidrogênio, porém também se enquadra a eletricidade, gás natural, metanol, combustível de série P, biodiesel e o etanol.

Alguns dos combustíveis atingiram as zero emissões de CO2 e as restantes quase zero. De qualquer fora, todos continuam a necessitar de melhorias, uma vez que podem surgir aumento dos preços das matérias-primas ou a processos de produção dispendiosos.

Alguns deles já estão a 100% de uso, mas outros ainda passam por um processo de experimentação ou não estão de todo disponíveis. No entanto, todos eles são alternativas eficazes para os combustíveis fósseis ou sintéticos, de modo a reduzir ainda mais as emissões de CO2.